27.4.06

Uma peça inédita de Samuel Beckett foi descoberta recentemente.
This has profound implications for traditional business models in the media industry, which are based on aggregating large passive audiences and holding them captive during advertising interruptions. In the new-media era, audiences will occasionally be large, but often small, and usually tiny. Instead of a few large capital-rich media giants competing with one another for these audiences, it will be small firms and individuals competing or, more often, collaborating. Some will be making money from the content they create; others will not and will not mind, because they have other motives.
Brian Eno fala sobre as origens da ambient music.

26.4.06

Os dragões de komodo são seres assustadores que se reproduzem de forma inexplicada e em breve destuirão o mundo.
Dez avatares (5 + 5) que provavelmente são mais influentes que você na vida real.

20.4.06

Os niponeses ensinam você a dobrar suas camisetas, mexer seu Nescau, beijar e fixar um band-aid.

Você, leitor deste blog, deve saber qual link não clicar na frente da sua avó.
Por que textos acadêmicos são tão difíceis de ler? Além dos fatores que o texto do outro lado aponta, poderíamos argumentar que há dificuldades inerentes a certas idéias. Além, é claro de um público leitor despreparado para ler qualquer coisa mais complicada que uma notícia num jornal e que, por conta da transposição indevida do igualitarismo presente no ideal democrático, se emputece quando não entende algo. Não obstante, é possível escrever idéias complexas de uma forma respeitosa a elas e ao mesmo tempo facilitar sua compreensão, como nos mostrou Ernest Gombrich, por exemplo.
Estudantes e apreciadores de cartuns e desenhos animados vão gostar muito do blog do ASIFA-Hollywood Animation Archive Project. Se o material não for suficiente para saciar sua fome, há um post com links muito bons.
As cidades e suas pressões evolutivas são um novo desafio para os cientistas.

19.4.06

No entanto, há algo de bom nessa falência do ideal moderno que jamais alcançamos. São Paulo talvez seja, também, a cidade mais democrática do país – é claro que a exclusão econômica existe e é gritante como em qualquer outra grande capital brasileira, basta um sobrevôo pelas periferias. Mas ainda assim é preciso reconhecer que São Paulo é o lugar que explodiu completamente com essa idéia de identidade nacional, com essa imposição do “nós, autênticos brasileiros”. Nada ali é autêntico, e na babel de idiomas, sotaques, nacionalidades e naturalidades, está uma possibilidade de cara do Brasil: um país sem rosto pré-definido, onde o que é ser “brasileiro” é tão diverso e singular que não cabe numa forma de identidade que, para ser bem-sucedida, necessariamente deixa de fora o diferente.
Estou lendo Homens do Amanhã (na verdade Men Of Tomorrow: Geek, Gangsters, and the Birth of the Comic Book , porque a edição brasileira é mais cara e ainda não chegou às lojas) - livro que conta a origem da indústria de quadrinhos americana e suas ligações com a máfia. E eis que descubro a carta que Jerry Siegel escreveu em 1975 amaldiçoando o Superman - O Filme. (PDF)

18.4.06

A Secret Wars Re-Enactment Society reencena as batalhas mais importantes de um dos crossovers mais sem sentido que já existiram.

16.4.06

Os grandes artistas começam a criar muito cedo e suas obras infantis já dão dicas de que caminho vão seguir.
Feliz Páscoa! Hoje se comemora, segundo Warren Ellis, o dia em que Jesus se transformou em chocolate e foi comido por seus discípulos.
Dez perguntas sobre ciência que você, com seu diploma colegial, deveria saber responder. Eu errei uma.

15.4.06

A busca por uma sociedade igualitária faz vítimas em partes da vida que pouco tem a ver com a igualdade real. Um exemplo é o fim das boas maneiras.

14.4.06

Appalling things can happen to children. And even a happy childhood is filled with sadnesses. Is there any other period in your life when you hate your best friend on Monday and love them again on Tuesday? But at eight, 10, 12, you don't realise you're going to die. There is always the possibility of escape. There is always somewhere else and far away, a fact I had never really appreciated until I read Gitta Sereny's profoundly unsettling Cries Unheard about child-killer Mary Bell.
Os neologismos de Os Simpsons estão cada vez mais cromulentos.

13.4.06

A Conrad lançou Adolf, de Osamu Tezuka, e colocou o primeiro capítulo na rede.

Eu achei todas as obras de Tezuka muito infantis, mas Adolf tem potencial para ser diferente.
Que tal você rever seus preceitos religiosos e ler o Principia Discordia nesta Semana Santa?
As the BBC begins a special series on Latin America, Newsnight presenter Gavin Esler gives his view on the region's leftward trend and its changing relationship with the US.

There is trouble ahead for Uncle Sam in his own backyard. Big trouble.
Rube Goldberg inspirou os niponeses que criam essas máquinas fantásticas.
John Rogers mostra um dos problemas fundamentais de Lost.
Sim, é.
São três da manhã, eu estou com fome e a geladeira está curiosamente empobrecida. Mesmo assim, o demente aqui está lendo sobre carnes argentinas. E a última vez que eu comi uma carne assim, fantástica, foi em janeiro. Um bife de chorizo, por sinal. Pretendo repetir a experiência em breve.

10.4.06

A writer friend of mine told me that a few weeks ago he had had to exclude the most gifted of his students, a young man from Swabia or Baden or Württemberg – neither he nor I can really tell these regions apart – with the significant name of Stefan Hegel, from the course for young writers he had been invited to give by a foundation with connections to a large corporation, because this Hegel kept on interrupting the readings of the texts under discussion, sometimes raising objections at every third or fourth sentence, shouting out, standing up or bursting into tears of horror, disgust or despair.
Esse é provavelmente o melhor texto à Borges desde It's a Good Life If You Don't Weaken.
O mais surpreendente nessa matéria do New York Times sobre o Orkut no Brasil é ver citado um professor da Unicersidade Católica do Salvador. (user:leituras; pass:dodia)
Quantas palavras existem na língua inglesa? A resposta é bem mais complicada do que parece à primeira vista.

9.4.06

"Usar itens comuns de forma inesperada dá um charme extra no dia-a-dia e na hora de receber."

É escrevendo coisas assim que eu ganho a vida e compro meus livros.
Eu nem imagino a paciência necessária para montar um porta-aviões de Lego.

7.4.06

Quantas dessas parafilias você tem?
Sabe o processo contra Dan Brown? Aquele em que dois autores de um livro de não-ficção queriam dinheiro porque O Código Da Vinci roubava sua história? O juiz foi em favor do bom senso e ainda multou os caras-de-pau. Infelizmente não existe mais açoitamento público.
Enquanto Bill Gates trabalha, Steven Jobs impressiona.
What is Victoria's Secret?

6.4.06

As capas que quadrinistas como Frank Miller, Chris Ware, Charles Burns, Seth e Art Spielgeman criaram para uma série de clássicos da Penguin são a desculpa perfeita para comprar alguns volumes que poderia ler de outro jeito. (Obrgiado, Érico)
Se eu não fosse obrigado a lidar com ele diariamente, eu contrataria o dono desse currículo.

5.4.06

O no mínimo publicou uma matéria alarmista sobre piercings, digna da Veja. Beleza alertar dos riscos, que existem, mas parece mais um caso de médicos usando sua autoridade em assuntos de saúde para se posicionarem contra um fenômeno estético e cultural.

Onde estão as proporções que dêem idéia real dos riscos? Onde estão as pessoas que se furaram e não tiveram problemas? Onde estão os piercers conceituados explicando como minimizam os riscos? Baseado no currículo de Conceição Lemes - autora do texto - ou ela esqueceu o prazo da matéria ou quer convencer a filha (que nem sei se ela tem) a esquecer esse negócio de piercing.

4.4.06

Um comprimido de ecstasy faz mais bem do que mal. 40 mil fazem mais mal do que bem, mesmo distribuídos ao longo de 9 anos.

2.4.06


Which Diesel Sweeties Character Are You?
And because this phenomenon wears itself so clearly as the convergence of downtown cool and easy, abundant money, it is also, of course, about stuff—though that’s not all it’s about. It’s more interesting as evidence of the slow erosion of the long-held idea that in some fundamental way, you cross through a portal when you become an adult, a portal inscribed with the biblical imperative “When I was a child, I spake as a child, I understood as a child, I thought as a child: But when I became a man, I put away childish things.” This cohort is not interested in putting away childish things. They are a generation or two of affluent, urban adults who are now happily sailing through their thirties and forties, and even fifties, clad in beat-up sneakers and cashmere hoodies, content that they can enjoy all the good parts of being a grown-up (a real paycheck, a family, the warm touch of cashmere) with none of the bad parts (Dockers, management seminars, indentured servitude at the local Gymboree). It’s about a brave new world whose citizens are radically rethinking what it means to be a grown-up and whether being a grown-up still requires, you know, actually growing up.
Um texto muito bom sobre o realismo literário e porque ele não é um gênero.

1.4.06

Cecília Gianetti escreve uma absurda ficção científica (parte 1 e 2).
No one seriously doubts anymore that the Internet will fundamentally change the news business. The uncertainty is whether it will only change the method of delivering the product, or whether it will change the nature of the product as well. Will people want, in any form—and will they pay for—a collection of articles, written by professional journalists from a detached and purportedly objective point of view?


Se me lembro bem das aulas de teoria do jornalismo, a objetividade jornalística foi um efeito dos jornais comerciais surgidos nos EUA do século 19. Na tentativa de ganhar leitores entre a massa de imigrantes de diferentes nacionalidades, religiões e o escambau, os jornais passaram a secar os textos de opiniões.

Com a multiplicação das fontes de notícias, os jornais e revistas vão se tornando cada vez mais produtos destinados a nichos. Ter opinião manifesta e honesta - ao contrário da nojenta revista semanal brasileira de maior circulação - vai se tornar uma questão comercial.
Use o Google Maps para detectar os zumbis na sua vizinhança.
Amanhã, dia 2 de abril, este blog faz cinco anos. É meia década de cultura, informação, debates e pornografia estranha.

Quem quiser comemorar, aceito convites para beber (apenas na Grande São Paulo), presentes de uma dessas três listas, um espaço decente de hospedagem ou um template novo - que já passou da hora.